Empresas petropolitanas de transporte reduzem emissão de gases poluentes

Por meio do Programa Economizar, coletivos alcançaram menor índice de poluição em 2016.

A melhoria da qualidade de vida dos habitantes de um município é dever de todos. Nesse contexto, estão as empresas de transporte que além de trazer empregabilidade, desenvolvimento e também ser responsável pelo deslocamento de milhares de pessoas, tem como conduta oferecer a curto, médio e longo prazo, menos impacto ao meio ambiente. Em junho, mês que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, a cidade completa também 10 anos do Programa Economizar, iniciativa que partiu de um convênio entre Fetranspor, Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Conpet e Petrobras, que busca a menor emissão de gases poluentes. Em Petrópolis, todos os coletivos – cerca de 400- que compõem a frota, obtiveram 100% de aprovação na avaliação feita esse ano pela equipe técnica do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis (Setranspetro).

A redução da poluição influencia diretamente na melhor qualidade de vida da população. Isso porque a alta concentração desses gases na atmosfera contribui, entre outras coisas, para a elevação da temperatura na terra e dos níveis do mar. Esses fatores podem levar a degradação ambiental de ecossistemas e a efeitos invasivos para a saúde causando nos indivíduos graves problemas respiratórios, por exemplo. A redução significativa impacta positivamente no meio ambiente e diretamente no bem estar da população.

A avaliação da emissão de gases é feita a cada quatro meses. Carlos Fortes, técnico do Setranspetro, explicou que esta análise é realizada, geralmente, na parte da noite, quando toda a frota está na garagem. Para fazer a aferição, ele conta com a ajuda de um opacímetro homologado pelo Inmetro, aparelho que mede a quantidade de fumaça emitida por metro. Ligado a um sistema computacional é possível verificar os índices de emissão de gases que aquele veículo está emitindo. E os números em 2016, foram satisfatórios. “Os índices estão abaixo do limite máximo de opacidade exigido pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente, Conama”, comentou.

A fim de garantir ainda mais a redução dessa poluição, a cada renovação de frota as empresas adquiriram ônibus com o Motor Euro 5, que possui um catalisador capaz de dissolver os poluentes, que antes saiam pelo cano de descarga. Elas também adotaram o uso do Diesel S10, mesmo combustível usado pelos países europeus, que liberam uma menor quantidade de enxofre na atmosfera: cerca de 10 partículas por milhão (PPM).

Todas as empresas que compõem o sistema de transporte coletivo da cidade são avaliadas pelo Programa Economizar. Atualmente, o município conta com cinco: Petro Ita, Turb, Cidade Real, Viação Cascatinha e Cidade das Hortênsias. Elas possuem ainda o Selo Verde, que pode ser visto em todos os ônibus urbanos do município. Ele garante algumas medidas, como o reflorestamento para compensação das emissões de gases de efeito estufa do setor, institui limites máximos de emissão mais restritivos do que os padrões instituídos pelo Conama, prevê o início do monitoramento da poluição sonora na frota e também metas de redução de CO2 e consumo de óleo diesel.